14 agosto, 2009

O começo do começo

Ontem a noite eu acidentalmente entrei no noticiário da UOL e um vídeo chamou minha atenção. Eram vários estudantes na porta do Senado, e dois deles gritavam estridentemente por justiça, pelo fim da impunidade, pela limpeza do Congresso, inclusive citaram nomes e fatos, fizeram o maior show na frente de toda a imprensa nacional. Logo depois foram coagidos pelos policiais legislativos e levados até uma sala de prévia detenção no Senado. Segundo o Estadão, alguns senadores presentes ainda foram socorrer os estudantes - e, quem diria!, Eduardo Suplicy incluído nesses. Depois de muito furdunço, os estudantes foram liberados e até agora nada mudou na política nacional. Infelizmente (ao meu ver) isso não causou lá grande impacto, mas surpreende e até fascina saber que tá crescendo nos estudantes esse sentimento (mais que necessário) de que o povo tem, sim, voz ativa. Eram os mesmo estudantes que alguns dias atrás tentaram entrar no Congresso com 11 pizzas simbolizando os 11 arquivamentos do Conselho de Ética e no dia foram igualmente detidos. São manifestações pequenas, isso ninguém nega. Mas que serviu de exemplo, inclusive, pra cá pro Maranhão, visto que pretendem fazer uma passeata anti-Sarney no sábado (e que eu ainda vou decidir se apareço ou não hehe. desculpa, gente, mas eu tenho aula de inglês). O fato é que não há como esconder que os estudantes tiveram participação indispensável no processo de estabelecimento da democracia no país - basta lembrar as Diretas Já! ou o movimento Caras-Pintadas contra Collor. Enquanto tudo isso, o Senado continua se dividindo cada vez mais, "tropas de choque" são formadas entre oposição e governo, mais escândalos vem à tona pelos jornais, e Dilma continua negando tudo. Marina Silva começa a se consolidar como possível candidata, Ciro Gomes aumenta suas articulaçoes pra conseguir apoio político, deputados e senadores se mobilizam pra fazer valer suas idéias, Lula cada vez mais fica em cima do muro (mas sempre acenando pra Dilma e Sarney), e o PT começa a uniformizar suas opiniões. E os aliados de Sarney continuam fazendo de tudo pra mantê-lo no poder, tá valendo até legalizar os atos secretos. Ou seja, o cenário político de 2010 está se formando, se condensando. E antes de dar parabéns a todos aqueles que cultivam essa veia revolucionária social, eu peço que fiquem atentos. Porque, pelo andar da carruagem, ainda vem muita coisa pela frente. A conferir.

6 comentários:

Cabral disse...

Essa idéia de querer tirar o Sarney do poder é balela. Parece que os meios de comunicação querem forçar uma revolta que parta do povo. O que acontece é que nenhuma justificativa apresentada pelas notícias foram suficientes para mobilizar esse tipo de movimento.
Até porque José Sarney não fez nada que não seja prática comum na política. Let's face it!
Outra coisa é que parece que ninguém vê ou não quer vê que essa briga é disputa pra quem vai mamar na teta da presidencia em 2011.
De uns meses pra cá, resolveram colocar nas costas do Sarney todos os problemas do país.
E José Serra e o PSDB como os salvadores da nação. medo/

Valéria disse...

Esse Cabral é sarneyzista, com certeza.

Enfim, fico super orgulhosa de saber que meus colegas de salas, pelo menos alguns deles, serão jornalistas com essa experiência - a experiência de protestar nas ruas por nossos direitos políticos e civis. Só participando de movimentos assim sentimos na pele o papel de cidadãos, de coletividade.

Parabéns por se preocupar, Daniel!

Cabral disse...

Sarneyista? Eu não estou defendendo o Sarney.
É que parece que virou moda ano que antecede eleição virar um furdunço pra ver quem vai mamar na teta da presidência.
Quando a Roseana tava liderando as pesquisas como preferida a presidência, o PSDB arrumou o caso Lunus.
Esse ano o PSBD, afligido pela campanha pós-Lula da Housseff, pegou o Sarney pra Judas.
E o Arthur Virgilio, hein? Quede a Globo e a Veja pra "investigar" as denúncias do cara, como fizeram com Sarney?
Ah, sim, claro. Arthur Virgilio...PSDB...
Valéria, a questão não é defender ou acusar. A questão é que tanto um quanto o outro são exatamente a MESMA coisa.
E vocês falam como se tirar uma única pessoa do poder vai fazer mudar alguma coisa.

danielfernandes ;) disse...

darlan rocha disse...
Lula não me surpreende mais! Até ferir os direitos humanos dizendo que Sarney merece um "tratamente diferenciado" Vossa Excelência já o fez. Uma lástima.
E é engraçado ver Sarney com toda sua história política com as inúmeras oportunidades que teve para fazer algo na história desse país, mas a única coisa que ele fez foi APOIAR. Sarney realmente não soube diversificar nos seus afazeres públicos. Apoio, apoio, apoio. Apoiou fulano aqui, outro colá, só preocupado com próprio bolso e com os benefícios que esses apoios trariam futuramente.
Não só o senado, mas a política brasileira está enfim mostrando suas cicatrizes para a sociedade. Cicatrizes essas que, se pensarmos, todos os empregados públicos já se psicoadaptaram a esse cenário "sujo" que o poderio público proporciona, todo esse "revertério" do senado já não os assusta mais. O único escândalo, os únicos surpresos (e vítimas) de toda essa história somos nós, a sociedade.
Agora eu entendo o por quê de ética e honestidade existirem, agora eu entendo...

15 de Agosto de 2009 09:10

danielfernandes ;) disse...

darlan rocha disse...
A propósito, concordo com o Cabral.

danielfernandes ;) disse...

rider disse...
Danhel, ótimo post! O pessoal que comenta não fica atrás. Essa página tornou-se um fórum, Dan! heehe... Parabéns pelos comentários. Ah, Dan, desisti de novo de terminar um novo blog... sei que não vou ter tempo pra postar nada mesmo, então, aproveito o pouco que tenho e leio o seu! hehe
Bjo,
Marcel /SP